2020: o pior ano da historia do turismo, com menos 1 bilhão de chegadas internacionais

O turismo global sofreu seu pior ano já registado em 2020, com as chegadas internacionais caindo 74% de acordo com os últimos dados da Organização Mundial do Turismo (OMT). Os destinos em todo o mundo receberam menos 1 bilhão de chegadas internacionais em 2020 do que no ano anterior, devido a uma queda sem precedentes na demanda e restrições de viagens generalizadas. Isso se compara à queda de 4% registada durante a crise económica global de 2009.

De acordo com o último Barómetro Mundial do Turismo da OMT, o colapso nas viagens internacionais representa uma perda estimada de US $ 1,3 trilhão em receitas de exportação – mais de 11 vezes a perda registada durante a crise económica global de 2009. A crise colocou em risco entre 100 e 120 milhões de empregos diretos no turismo, muitos deles em pequenas e médias empresas.

Devido à evolução da natureza da pandemia, muitos países estão reintroduzindo restrições de viagens mais rígidas. Isso inclui testes obrigatórios, quarentenas e, em alguns casos, o fechamento completo das fronteiras, tudo pesando na retomada das viagens internacionais. Ao mesmo tempo, espera-se que o lançamento gradual de uma vacina para a COVID-19 ajude a restaurar a confiança do consumidor, contribua para diminuir as restrições de viagens e, aos poucos, normalize as viagens durante o ano que vem.

O Secretário-Geral da OMT, Zurab Pololikashvili, disse:

Embora muito tenha sido feito para tornar uma viagem internacional segura, uma possibilidade, estamos cientes de que a crise está longe de terminar. A harmonização, coordenação e digitalização das medidas de redução de riscos relacionados a viagens, incluindo testes, rastreamento e certificados de vacinação, são bases essenciais para promover viagens seguras e preparar-se para a recuperação do turismo assim que as condições permitirem.

Perspetiva de recuperação segue cautelosa

A última pesquisa do Painel de Especialistas da OMT mostra uma perspetiva mista para 2021. Quase metade dos entrevistados (45%) previa melhores perspetivas para 2021 em comparação com o ano passado, enquanto 25% esperam um desempenho semelhante e 30% preveem uma piora dos resultados em 2021.

As perspetivas gerais de uma recuperação em 2021 parecem ter piorado. 50% dos entrevistados agora esperam que uma recuperação ocorra apenas em 2022, em comparação com 21% em outubro de 2020. A metade restante dos entrevistados ainda vê uma recuperação potencial em 2021, embora abaixo das expectativas mostradas na pesquisa de outubro de 2020 (79% de recuperação esperada em 2021). À medida que o turismo recomeça, o Painel de Especialistas da OMT prevê a crescente demanda por atividades turísticas ao ar livre e baseadas na natureza, com o turismo doméstico e as experiências de ‘viagens lentas’ ganhando interesse crescente.

Quando esperas uma retomada do turismo internacional no teu país?

Olhando mais adiante, a maioria dos especialistas não espera que um retorno aos níveis pré-pandémicos aconteça antes de 2023. Na verdade, 43% dos entrevistados apontam para 2023, enquanto 41% esperam que um retorno aos níveis de 2019 ocorra apenas em 2024 ou mais tarde. Os cenários estendidos da OMT para 2021-2024 indicam que pode levar de dois anos e meio a quatro anos para o turismo internacional retornar aos níveis de 2019.

Quando esperas que o turismo internacional volte aos níveis anteriores à pandemia de 2019 no teu país?

Todas as regiões do mundo afetadas

A Ásia e o Pacífico (-84%) – a primeira região a sofrer o impacto da pandemia e a que apresenta o maior nível de restrições de viagem em vigor – registou a maior redução nas chegadas em 2020 (300 milhões a menos). O Oriente Médio e a África registraram queda de 75%.

A Europa registrou uma redução de 70% nas chegadas, apesar de uma pequena e curta retomada no verão de 2020. A região sofreu a maior queda em termos absolutos, com mais de 500 milhões de turistas internacionais a menos em 2020. As Américas tiveram uma queda de 69% nas chegadas internacionais, após resultados um pouco melhores no último trimestre do ano.

Uma visão geral completa dos dados globais, regionais e sub-regionais mais recentes pode ser encontrada no Barómetro Mundial do Turismo da OMT e no Rastreador de Recuperação do Turismo da OMT.

Eveline Fernandes

Economist. Brand Manager

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s