Milhões de meios de subsistência dependem de ação imediata! – 197 milhões de empregos em risco

O mais recente modelo de pesquisa económico do WTTC analisa o impacto enfrentado pelo setor de viagens e turismo em meio a restrições de viagens locais e globais como resultado da COVID-19.

Mais de 197 milhões de empregos podem ser perdidos no setor de Viagens & Turismo caso as medidas prolongadas de restrições de viagens e falta de urgência permanecerem, resultando na perda de US $ 5,5 trilhões no PIB Global de Viagens & Turismo.

No pior cenário, os aumentos das restrições ocorrem após o verão, resultando em um impacto mais significativo, colocando em risco um total de 197,5 milhões de empregos.

Esses números representam um aumento alarmante de 96% em relação às últimas estatísticas estimadas relatadas em 100,8 milhões de empregos sob ameaça da pandemia do coronavírus.

A pesquisa do WTTC mostra que a remoção dessas restrições de viagem mais cedo poderia economizar 99,3 milhões de empregos. O impacto de restrições de viagens prolongadas também pode acabar com US $ 5.543 bilhões na contribuição do setor para o PIB global, o que equivale a uma queda de 62% em comparação com 2019.

Enquanto isso, no pior cenário, as chegadas internacionais globais sofrerão um declínio acentuado de 73% e as domésticas de 64%.

A extensa análise de investigação de peritos do WTTC realizada esta semana apresentou três resultados possíveis para o sector:

1. Cenário pessimista: as atuais restrições começam a facilitar a partir de setembro para as viagens de curta distância e regionais, a partir de outubro para médio curso e a partir de novembro para o longo curso.

Neste cenário, 197,5 milhões de postos de trabalho poderão perder-se no setor global de Viagens & Turismo, com uma perda de 5.543 mil milhões de dólares no PIB Global. Entretanto, o número global de visitantes desceria 73% para as chegadas internacionais.

2. Cenário moderado: as atuais restrições começam a facilitar a partir de junho para viagens regionais e julho para viagens de curta distância ou locais; a partir de agosto para médio curso e a partir de setembro para o longo curso.

Este cenário poderá representar um total de 121,1 milhões de postos de trabalho perdidos no setor global de Viagens & Turismo, com uma perda de 3.435 mil milhões de dólares no PIB Global. Entretanto, o número global de visitantes desceria 53% para as chegadas internacionais e 34% para as chegadas domésticas.

3. Cenário Otimista: as medidas atuais começam a facilitar a partir de junho para as viagens de curta distância e regionais; e a partir de julho para medio curso e de agosto para o longo curso.

Assim, um total de 98,2 milhões de postos de trabalho poderiam perder-se no setor das Viagens & Turismo, metade do número no pior cenário, com uma perda de 2.686 mil milhões de dólares no PIB global. Entretanto, o número global de visitantes desceria 41% para as chegadas internacionais e 26% para as chegadas domésticas.

Embora o melhor cenário ainda resulte, sem dúvida, num golpe devastador para Viagens & Turismo, este resultado evita danos adicionais desnecessários para o setor em resultado de restrições prolongadas de viagem. Protege quase 100 milhões de empregos em todo o mundo que, de outra forma, poderiam ser perdidos.

Este cenário mais importante ainda pode ser alcançado para o setor global de Viagens & Turismo se os governos de todo o mundo seguirem o plano recomendado pelo WTTC de quatro pontos.

Em primeiro lugar, a remoção imediata e substituição de quaisquer medidas de quarentena, com “corredores aéreos” para países com circunstâncias semelhantes para estimular o sector das Viagens & Turismo e a economia global, bem como a remoção de avisos de viagem e proibições de viagens internacionais não essenciais, que impedem a cobertura de proteção dos seguros para os viajantes.

Em segundo lugar, a adoção de “Protocolos Globais de Saúde e Segurança”, como a iniciativa “Safe Travels” recentemente lançada pelo WTTC, para assegurar aos viajantes que é seguro viajar novamente.

Em terceiro lugar, a implementação de uma estratégia de teste e de rastreio rápido para ajudar a conter a propagação do vírus, permitindo ao mesmo tempo que as pessoas viajem de forma responsável no país e no estrangeiro.

E, finalmente, uma colaboração mais significativa e sustentada entre os sectores público e privado para assegurar uma abordagem global e normalizada da crise.

De acordo com o Relatório de Impacto Econômico do WTTC em 2020, durante 2019, as Viagens e Turismo suportaram um em cada 10 empregos (330 milhões no total), contribuindo com 10,3% para o PIB global e gerando um em cada quatro de todos os novos empregos.

Published by

Eveline Fernandes

Economist. Brand Manager

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s